"Alguns homens passam pela história. Outros a constroem."

O Brasil é o novo gigante que desperta. Um país que se ergue com força e determinação para aquilo que nasceu, que é a sua verdadeira vocação: alimentar o mundo. Muitos foram os que se aventuraram ao longo dos tempos, mas poucos tiveram a garra e determinação para erguer uma potência, para desbravar um país!

By Pionner DuPont - Os Desbravadores do Brasil

WAGNER PALMEIRA

Agropecuarista


Wagner Campos Palmeira, natural de Machado/MG, faz parte de uma família que apresenta uma história de alguns séculos na agricultura. Desde criança já sabia o que queria para sua vida e, até hoje, continua apaixonado pela profissão que escolheu. Em 1970, seu pai adquiriu a fazenda da família em Machado, iniciando os trabalhos na terra com a cultura do café. Atualmente o agricultor produz milho e café, culturas que, com a evolução da agricultura e o aperfeiçoamento da mão de obra, tem conquistado melhores resultados de produtividade safra após safra. Wagner Campos Palmeira acredita na força das parcerias firmadas no campo, onde a troca de informações, conhecimento e tecnologia traz cada vez mais benefícios para a agricultura brasileira. Wagner Campos Palmeira é mais um exemplo de profissional que acreditou na agricultura e desbravou o país!
"Acredito na força das parcerias firmadas no campo, onde a troca de informações, conhecimento e tecnologia traz cada vez mais benefícios para a agricultura brasileira."

WALTER PALMEIRA

Agropecuarista


Cidadão machadense nascido no dia 1º de abril de 1929. Filho de Manoel Palmeira e Maria de Lourdes Palmeira. Casou-se em julho de 1950 com Ana Campos Palmeira e tem 3 filhos: Wagner, Lourdes e Lucília, oito netos e um bisneto. Neto e filho de cafeicultores, Walter Palmeira revela que o sonho de sua mãe era vê-lo formado doutor, mas a infância na fazenda e a lida com a terra já tinham definido sua vocação. Em 1951, Walter ainda jovem, recém-casado, resolveu arriscar sua sorte no município de Santo Inácio no norte do Paraná, onde a cultura estava em plena expansão. As Geadas de 1953 e 1955 liquidaram com todo o investimento, quando retornou a Machado e comprou um pequeno sítio, no bairro de nome Barra. Walter começa uma fase nova em sua vida, colocando seu sítio à disposição da ACAR para realização de reuniões com os produtores de bairro. Nesse período, começou a estudar e a disseminar a agricultura, plantando pequenas lavouras. Despertou-se pela liderança rural e pela descoberta de novas tecnologias e com o passar dos anos foi escolhido para ser vereador por dois mandatos. No início da década de 70, para fazer composição política, foi convidado para ser candidato único para prefeito em um mandato de dois anos. Aceitou, não para fazer política ou por vaidade, mas sim para prestar um serviço à comunidade que é o seu berço. No percurso, como Prefeito, liderou um grande desafio, que foi fazer as pessoas acreditarem que o solo de baixa fertilidade poderia produzir café de qualidade. A pesquisa agronômica do IBC garantia que era possível produzir no cerrado, e apoiado nessa garantia, iniciou-se um trabalho de esclarecimento junto aos produtores. Na época, dizia: “Nunca podemos deixar que o receio pelo novo e desconhecido sejam obstáculos para descoberta de novos caminhos”. Unidos, iniciou-se o plantio ampliando a área para produção de café, que é até os dias de hoje o carro chefe do desenvolvimento no nosso município. Em maio de 1970, foi eleito Presidente da Cooperativa Agrária de Machado, onde ficou 24 anos.
“Nunca podemos deixar que o receio pelo novo e desconhecido sejam obstáculos para descoberta de novos caminhos”

Olá! Clique aqui que um de nossos representantes irá lhe atender.

Fale conosco pelo WhatsApp